Introdução à Educação Infantil

educação-infantil.jpg

Foi em 1996 que o Ministério da Educação (MEC) promulgou a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional reconhecendo a educação infantil como parte da educação básica dos brasileiros.

De lá para cá, muita coisa vem mudando, inclusive o pensamento de que crianças de zero a seis anos de idade não assimilam conhecimentos aprendidos na escola. Para você ter uma ideia, o artigo 29 da Lei diz que a educação infantil tem como finalidade “o desenvolvimento integral da criança (…) em seus aspectos físico, psicológico, intelectual e social, complementando a ação da família e da comunidade”.

Ainda de acordo com as diretrizes do MEC, a educação infantil deve ser oferecida em creches ou entidades equivalentes (para crianças de até três anos de idade), e em pré-escolas, para crianças de quatro a seis anos de idade.

Levando em consideração a grande importância do tema educação infantil para o crescimento saudável dos pequenos, no post de hoje vamos falar um pouco sobre as práticas recomendadas e o que dizem os estudos recentes sobre o tema.

Por que estudar Educação Infantil?

As escolas de educação infantil, juntamente com seus professores, precisam ter bons conhecimentos técnicos para promoverem uma educação de qualidade e se preocuparem em como lidar com as crianças tanto no dia a dia quanto em situações especiais.

Afinal de contas, essas crianças estão no início do convívio escolar e essa base é muito importante para as próximas etapas. Mesmo ainda pequenos, descobrem-se talentos, capacidades e identificam-se problemas que podem ser prontamente tratados para se evitar danos posteriores.

Os professores e as escolas também precisam se preparar para o ensino infantil porque os estímulos e experiências que as crianças vivenciam nos primeiros anos de vida (principalmente nos três primeiros anos) predizem fortemente como elas se ajustarão às demandas da vida e da escola. Nesse sentido, creches e escolas podem fazer a diferença e complementarem a educação que os pequenos recebem de seus pais e responsáveis.

Quais são as práticas de educação infantil mais recomendadas atualmente?

É sempre importante que os professores e as escolas fiquem atentos às melhores práticas de educação infantil recomendadas pelos órgãos oficiais e também por pesquisas e estudos científicos – como o recente estudo publicado por pesquisadores participantes do Seminário do Instituto Alfa e Beto.

Mas, de um modo geral, sugerem-se algumas práticas, tais como:

  • a criação de hábitos de correção com suavidade e fineza.
  • A busca pela organização do espaço infantil para que o ambiente proporcione harmonia nos aspectos biológicos e psicológicos da criança.
  • A condução de atividades de forma que os pequenos venham lembrar-se dos momentos com saudade e entusiasmo.
  • Tratar o momento da leitura como algo mágico para a criança, preparando-a para a alfabetização e estimulando o crescimento do vocabulário.
  • Transmitir a sensação de um mundo mais lúdico no qual a criança não se sinta formalmente educada – embora ela esteja sendo. Nesse sentido, as brincadeiras são muito importantes para esse desenvolvimento e essa etapa de aprendizagem.
  • Ter a consciência de que punições devem ocorrer para corrigir maus hábitos, e é preciso que elas sejam realizadas de forma que a criança tenha consciência do erro.
  • É preciso observar bem cada aluno para detectar o que pode ser trabalhado, melhorado ou eliminado em relação aos seus hábitos e aprendizagem.

Quais são as novidades em relação à educação infantil?

Da mesma forma que uma geração não é igual à sua anterior, podemos dizer que o mundo caminha em direção a novas formas de aprendizagem – principalmente por conta da tecnologia presente e já introduzida na rotina dos pequenos.

Nesse sentido, feiras e seminários especializados em educação já apontam para um futuro breve com uma escola mais informatizada, tanto em seus processos administrativos quanto na utilização de softwares que ajudam na sala de aula. Ao invés de os dispositivos móveis serem alvos de proibições em sala, eles estão se transformando em aliados no processo de aprendizagem.

Outra tendência, apontada na última edição da feira Bett Show, que reúne todos os anos em Londres profissionais da educação e empresas de tecnologia, é de que seja possível selecionar novos caminhos educacionais personalizados para cada aluno, graças aos avanços no campo da chamada edugenômica, que relaciona informações genéticas com um conjunto de dados acadêmicos.

E você, como professor ou diretor de escola, quais são as suas experiências em relação à educação infantil? Neste post aqui, discorremos sobre um tema muito importante que deve ser levado em consideração na educação das crianças : Entenda a importância da recreação nas escolas infantis. Até a próxima!

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

topo