Há segurança nos espaços de lazer em que seu filho brinca?

ha-seguranca-nos-espacos-de-lazer-em-que-seu-filho-brinca.jpeg

Você costuma observar a segurança nos espaços de lazer onde deixa seu filho brincar? Se não tem esse costume, aconselhamos que você o adote a partir de hoje! Afinal, um parquinho pode mesmo ser um lugar perigoso, se não for bem conservado.

E para te ajudar nessa inspeção antes de liberar as crianças para brincadeiras, separamos aqui alguns pontos importantes que você deve observar. Então, quer ver quais são? Continue lendo e confira — e apenas deixe que seu filho brinque nos espaços que cumprirem cada um deles!

Tipo de piso

Segundo as normas ABNT para playgrounds, o piso ideal para um parquinho é de areia, grama ou outro material macio que possa absorver impactos. Isso impede que a criança se machuque caso caia, e também protege articulações, como os joelhos.

Os parquinhos que possuem pisos rígidos, como asfalto ou concreto, não são bons espaços e não garantem a segurança ideal para as crianças. Por isso, evite deixar que seu filho brinque em espaços com esses pisos rígidos.

Divisão por faixa etária

Outro item que garante a segurança nos espaços de lazer que seu filho frequenta é a separação dos brinquedos para cada faixa etária.

Os playgrounds precisam ser divididos em áreas para que as crianças possam brincar tranquilamente. Isso vai impedir que os maiores estejam entre os menores, por exemplo, e também garantirá que cada grupo brincará com os brinquedos que atendam a sua idade.

Assim, evita-se que as crianças se machuquem, mesmo sem querer, e que os pequenos acabem utilizando brinquedos perigosos para eles.

Além disso, é importante que os pais e acompanhantes instruam as crianças sobre o lugar adequado. Sozinhas, elas não saberão identificar isso, então, cabe aos adultos observar esse detalhe.

Área de circulação

Os atrativos dos parquinhos são os brinquedos e, para as crianças, quanto mais, melhor. Porém, é importante que você observe o espaço de circulação do playground. Basicamente, os brinquedos não podem estar próximos demais para que não aconteçam acidentes.

O ideal é que haja espaço suficiente para que as crianças possam transitar e trocar de brinquedo com segurança. Espaços apertados podem fazer com que elas se esbarrem e sofram quedas. Além disso, os brinquedos podem causar acidentes se as crianças passarem muito perto deles.

Proteções

Além de ser essencial que o parquinho tenha uma boa área de circulação, também é importante que existam barreiras de proteção.

Instalando barras de proteção em volta dos brinquedos, por exemplo, se impede que as crianças invadam essa área correndo. Afinal, esse é um hábito comum entre elas, que pode fazer com que se machuquem ou choquem com os brinquedos em movimento, como os balanços.

Contudo, além das proteções no solo, os brinquedos também precisam dessas barreiras protetoras na sua estrutura. Aqueles mais altos, como casinhas ou pontes, por exemplo, precisam ter um guarda-peito. Então, observe se os brinquedos foram projetados com esse cuidado extra.

Materiais utilizados

As normas ABNT também indicam que os melhores materiais para o parquinho são madeira, plástico, aço ou ferro galvanizado. Por isso, procure se informar sobre o tipo de material utilizado na construção.

Atualmente, uma das melhores alternativas de material para o parquinho é a madeira plástica. Melhor do que a madeira tratada e do que o plástico comum, ela é mais resistente e exige menos manutenção. E não solta farpas, sendo ainda facilmente higienizada, o que garante mais segurança nos espaços de lazer dos pequenos.

Além disso, atente-se também ao material usado na pintura dos brinquedos. Isso porque é muito importante que as tintas sejam atóxicas, para que as crianças estejam realmente protegidas nesse espaço.

Estado de conservação

Esse é outro ponto muito importante para você observar na segurança dos espaços de lazer do seu filho. Afinal, o estado de conservação dos brinquedos indica se eles estão adequados para serem utilizados ou não.

Nesse sentido, sua observação deve ser independente do material. Confira se os brinquedos estão em bom estado, sejam eles de plástico, madeira ou metal.

Veja se não há pontos de corrosão, se não estão quebrados, se possuem todos os parafusos, se a pintura está conservada, se não estão soltando lascas, se a madeira não está podre, entre outros detalhes.

E você precisa fazer essa observação em cada brinquedo, porque, mesmo aqueles que parecem mais inofensivos — como uma casinha — podem causar acidentes.

Ainda que seja apenas um corte na mãozinha da criança, considere que há a chance de contaminação por bactérias e um risco maior caso o parquinho esteja enferrujado. Então, não permita que seu filho se arrisque em playgrounds mal conservados.

Parafusos e partes pontiagudas

Pode parecer um trabalho de detetive observar cada detalhe do parquinho do seu filho, mas acredite, é muito importante. Parafusos salientes, por exemplo, podem ser um grande problema — afinal, se a criança esbarrar, sua pele poderá se cortar neles.

No caso de escorregadores, esses cortes podem ser até mais graves. E as crianças ainda correm o risco de bater a cabeça nessas partes. Então, observe com calma. Veja se tudo está protegido e se os brinquedos são realmente seguros.

E o mesmo vale para aqueles de madeira, que possam soltar farpas. Observe se a madeira está íntegra: passe a mão sobre a superfície e veja se ela está realmente lisa ou se apresenta asperezas.

Para garantir que o seu filho vai se divertir e não correrá nenhum tipo de risco, seja rígido em seu julgamento.

Presença de monitores

Por fim, outra medida de segurança nos espaços de lazer para crianças é a presença de monitores. Em playgrounds públicos, você não terá esse recurso, mas, para espaços fechados — como na escolinha ou em clubes e parques recreativos — eles devem estar presentes.

Então, se o seu filho for brincar num lugar como esse, se informe quanto à presença dos monitores, e veja se estão em número suficiente para cuidar das crianças.

E se você não puder estar com seu filho, é essencial chamar alguém para cuidar dele, vigiando e auxiliando caso precise de alguma coisa. Evite deixar que seu filho fique sozinho no parquinho, porque ele pode não saber julgar se está seguro ou se alguma brincadeira oferece risco.

Enfim, como vimos, estar atento à segurança dos espaços de lazer frequentados por seu filho não é uma medida supérflua. Os adultos devem prezar pela segurança dos pequenos, por isso, seja exigente. Parquinho deve ser um lugar para se divertir, e jamais oferecer risco para os pequenos.

E aí, gostou do post? Quer conferir mais conteúdos como esse em primeira mão? Então aproveite para assinar a nossa newsletter!

cta-seguranca

 

Um comentário

  • Muito lindo, e sem dúvida muito Seguro, estou a procura de uma doacãdoação de brinquedo infantis para minha professor Dionísio ,localizada na zona rural de Remanso Bahia a mais de 700kmda capital.Quando eu falo que estou pedido o pessoal falam que eu não vou ganhar,mas eu tenho certeza que o meu Deus vai tocar no coração de algum responsável por uma fábrica e ele me ajudará a ver minhas crianças felizes

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

topo